terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Paradigma do Governo Robinson: Média de pacientes em macas no Hospital Walfredo Gurgel aumentou 40% em 2016

O Corredômetro-RN identificou em 2016 um aumento na média de pacientes internados em macas no Hospital Walfredo Gurgel. Enquanto em 2015 a média era de 71 pessoas, em 2016 esse número subiu para 99,5, um crescimento de 40% no segundo ano do governo Robinson Faria. Entre os pacientes que estiveram em macas nos corredores do Walfredo, a média saltou de 31 em 2015 para 58,2 em 2016, um crescimento de 87,7%.

O pior momento de 2016 foi no dia 17 de outubro, quando no Walfredo Gurgel haviam 155 pacientes em macas e o centro cirúrgico havia sido fechado por falta de leitos.

O levantamento feito pelo Sindsaúde-RN é realizado sempre às segundas-feiras, identificando os pacientes em macas nos corredores e em outros locais dos quatro maiores hospitais do estado: Walfredo Gurgel e Santa Catarina, em Natal, Deoclécio Marques, em Parnamirim, e Tarcísio Maia, em Mossoró. O mês de outubro teve uma média de 194 pacientes por semana em macas nestes hospitais.

Piora em Mossoró
O hospital Tarcísio Maia, em Mossoró, foi o que teve maior aumento na quantidade de pacientes em macas, proporcionalmente. A média dobrou: em 2015 eram 12 pessoas em macas e em 2016, o Corredômetro identificou 24 pacientes internados de forma irregular, em média. O Sindsaúde de Mossoró irá denunciar a situação do hospital durante a visita à cidade do ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP), nesta quarta-feira (11).

Nos demais hospitais, Santa Catarina e Deoclécio Marques, foi possivel ver uma redução nos números. De 20 para 12 no Santa Catarina, e de 43 para 24 no Deoclécio Marques. Neste último, a redução foi provocada pela interrupção e redução de serviços e pela abertura da UPA de Parnamirim.

Por Heitor Gregório